Blog de Vinhos

Como visitar Vinícolas em Mendoza na Argentina

Olá a todos,

cropped-capa_31.jpg

Neste post espero poder ajudar aos leitores de nosso querido Blog (www.Blogdevinhos.com.br), a como visitar vinícolas (bodegas) em Mendoza na Argentina.

Para quem não sabe ainda Mendoza é umas maiores regiões produtoras de vinhos da América Latina. Localizada aos pés dos andes fica a 1054 km de Buenos Aires. O forte da região realmente são os vinhos, e apesar de está nos pés dos Andes, as opções de praticas esportivas na neve nas proximidades não as melhores, do lado chileno nesta altura dos Andes as condições são melhores. porém existem do lado argentino. Bariloche não fica perto de Mendoza, esta distante mais de 1.200 km, só para vossa localização.

 

Como chegar:

Para quem está no Brasil a melhor opção realmente é a via Aérea. Existe um voo operado pela GOL que vai de São Paulo á Mendoza direto, demais voos tem conexão em Buenos Aires.

Ir de carro é um pouco complicado, uma vez que a distância de Foz do Iguaçu por exemplo, é de 2.000 km até Mendoza. São praticamente 24h de carro. Penso que não compensa muito.

Fica uma dica para se observar sempre o peso da franquia de bagagem. Pois algumas cias aeras argentinas aplicam franquias diferentes das nacionais. Fique atento.

Hotéis:

Em razão de ser uma cidade que atrai muitos turistas aficionados por vinho, existem uma excelente rede hoteleira na cidade, com opções para todos os gostos e bolsos. Destaco Hyatt, Diplomatic e Intercontinental como hotéis de luxo, porém existem muitos hotéis boutique e até mesmo pousadas que ficam dentro de bodegas. O TripAdvisor é uma ótima ferramenta para encontrar um hotel que lhe agrade. Particularmente gosto do Hyatt, pela localização e qualidade dos quartos.

Bodegas:

 

DSC08995Bodegas é como são chamadas as vinícolas na Argentina. São mais de 1200 bodegas na região, entre artesanais, familiares e grandes empresas. Existem bodegas para todos os gostos.  Destacamos algumas como Catena Zapata, Salentein, Trapiche, Vistalba, Pulenta, Domain San Diego, Zuccardi, Terrazas, La Azul, Chandon, Domain Bousquet, El Enemigo… são muitas, bodegas boas!

As bodegas ficam basicamente em três regiões, Luján de Cuyo, Maipú e Valle de Uco.  Do centro de Mendoza normalmente é 30 minutos até cada região de vinícolas. Pode ser um pouco complicado encontrar cada vinícola,  e aí que eu recomendo e muito a contratação de “remis”.  Se você for de avião,  o ideal é justamente contratar este serviço, já vou explicar melhor como funciona.

Normalmente as visitas as Bodegas custam em torno de $120 á $150,00 pesos argentinos (algo em torno de R$ 35,00 á R$ 40,00) por pessoa. E contemplam um tour guiado pela vinicola que explica os passos da produção e locais e no final uma degustação de alguns vinhos produzidos. Após a degustação você pode comprar vinhos que mais lhe agradaram.

Algumas bodegas oferecem também almoço,  que deve ser previamente reservado. Os almoços custam normalmente em torno de $600,00 pesos (R$ 180,00) por pessoa, sendo que são almoços gourmet com vários passos e harmonizados com os vinhos da casa (vinho a vontade).  Dependendo da cidade do leitor, na comparação pode parecer caro, mas acredito que seja um preço muito justo. Destaco os almoços na Zuccardi, La Azul e Terrazzas. Sendo este último especial para mim.

 

DSC08910Almoço Zuccardi

 

Como organizar isso tudo:

Para facilitar e muito a nossa vida, existem empresas em Mendoza, que fazem o transfer hotel > bodegas, bodegas > hotel. Reservas nas vinicolas, reserva de almoços e ainda transfer aeroporto > hotel  e hotel > aeroporto.  Montam o cronograma de visitas de acordo com regiões e vinícolas que você escolher.  Facilita muito correto?

As vezes que fui a Mendoza, sempre optei por estas empresas. Acredito ser a melhor opção em relação á conforto, comodidade e segurança.

Normalmente estas empresas cobram em torno de US$150,00 dólares o dia, para deixar um carro e um motorista a sua disposição e visitar uma região.  Normalmente se faz 3 visitas (3 vinícolas por dia) sendo a terceira com almoço (os preços das visitas e almoço não estão incluídos nos US$ 150,00).

 

É caro os US$ 150,00 em média por dia? Sim eu acho um pouco pesado, principalmente se for para somente um casal. Se forem 2 casais, ai já fica muito mais confortável o valor.  Pense nas vantagens de ter um motorista que sabe onde está indo, sabe o melhor caminho para chegar, conhece o pessoal das vinícolas, irá estar na porta do hotel no horário combinado, já sabe seu itinerário, você sabe que suas visitas já estão agendadas,  você pode ir comprando vinhos e guardar no porta mala do carro, e principalmente pode tomar todas sem ter medo de achar o caminho de volta 🙂 . Acredite depois do almoço regado a vinho você não vai querer dirigir!

Facilita muito a viagem e a torna muito mais prazerosa. Não ter que ficar se preocupando com um monte de coisas.

Existem muitas empresas lá que prestam esses serviços, porém destaco uma que sempre nos atendeu muito bem que é a Vendimia do Sr. Leo.  Abaixo os contatos.

LEO ( Leonardo Sarcinella) /  E-mail:  info@vendimia.com /  54-261-155 450651 / www..vendimia.com

Compensa pegar taxis para fazer as visitas as bodegas? Pode até compensar se for somente para levar e te deixar em uma vinícola.  Se for para o motorista lhe esperar a cada visita e levar a outra vinícola, ele vai lhe cobrar o mesmo que os transfers privados, porém carros menos confortáveis e limpos e sem o serviço de reserva de almoço e visitas.

Inclusive recomendo que seja contratado o serviço antecipadamente, em algumas vinícolas o almoço é muito concorrido e em cima da hora é praticamente impossível conseguir reservar almoço.

Algumas vinícolas também não facilitam a reserva direto de particulares, o que é um problema, então reservar por estas agências / empresas também é um grande facilitador.

DSC08825

 

 

1 Comment

  1. Renato de Oliveira

    A empresa indicada quis cobrar 330 dólares para o translado de seis pessoas, sem incluir as visitas e o almoço! Desonesto, para dizer o mínimo!

    Reply

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *